Coisas que ninguém te conta sobre a hora de amamentar!

Amamentação…. ahhh eu achei que tiraria de letra, que suportaria qualquer dor! Afinal minha irmã amamentou a filha dela até 2 anos, porque eu não conseguiria?

Quando descobri que estava grávida (de 6 semanas), fui na médica e já falei logo que cara que queria amamentar minha filha de qualquer jeito e o que eu precisava fazer para quando ela nascer não sofrer tanto, como muitas falavam. Eu ia me preparar para isso!

No banho, quantas vezes eu tomasse, lá estava eu com a minha bucha vegetal, vendo estrelas, mas esfregando o bico do peito para ele ficar bem grosso.

Tudo que me falassem para fazer eu fazia! Como uma virginiana sistemática, eu não deixava passar um dia sequer!

Eu sempre falei que tinha  mais curiosidade e vontade de amamentar, do que ver a carinha dela!!! kkkkk. Quando lembro que falava isso, parecia que alguém lá de cima dizia: “As coisas não são do jeito que você quer, e sim do jeito que precisa ser!”

Fui para Orlando aos 5 meses de gestação, em uma época que o dólar estava a R$1,50 e praticamente trouxe tudo que se imagina, menos A MAMADEIRA. Não ia dar mamadeira para minha filha, nem água, pois como ela iria mamar não teria necessidade de ter nenhuma mamadeira. O resto que trouxe tudo! kkk

Bom, chegou o grande dia, esfreguei mais uma vez o peito com aquela bucha horrorosa, para garantir a primeira mamada da minha princesa. Ansiedade para amamentar no nível hard!

Ela veio perfeita! Linda, a cara do pai, branca igual ao pai, os dedos igual ao pai, e o branquinho dos olhos igual ao meu!

Primeira mamada: Foi lindo! Ela pegou de primeira e não largou por pelo menos uns 45 minutos. Doeu pra caramba, mas eu não tinha me preparado para isso? E a danada ficou tanto tempo que nesse momento percebi que não seria uma etapa fácil, mas vamos lá!!!

Cheguei em casa, e a dor veio junto!

Foram 30 dias de sofrimento maternal!

Tive mastite (inflamação das glândulas mamárias), tive que sair correndo para comprar a bendita mamadeira, e o inferno da bombinha de tirar leite. Que esse treco fez eu chorar mais uma vez. Os pontos da cesárea estavam muito doloridos, e tive gases de tanto que falei depois do parto, que não podia triscar na minha barriga de tão dolorida que ela ficou!

Quando ela acordava eu chorava… antes dela pegar eu já estava chorando de dor! Ela podia dormir mais um pouco até esse peito calejar!

Coloquei casca de banana, Mamare, saquinhos gelados de erva cideira ou erva doce, LANSINOH a cada 30 minutos, pois não sei o que acontecia que ele desaparecia do meu peito. Ahhh para não encostar no sutiã, aqueles porta leite do inferno que eu esquecia que estavam cheios e deitava sempre e tomava um banho de leite azedo.

A cada mamada aparecia uma coisa nova: travei as costas de tão tensa que eu ficava a cada mamada. De repente os peitos começaram a esquentar e parecida que tinha um bicho geográfico andando no meu peito, e todo mundo falava que era normal, pois o peito estava “enchendo”…

Chorei, chorei mais que minha bebê! Chorava e falava para minha mãe que ninguém tinha me contato essa parte. E minha mãe me dizia: Agradeça a Deus que ela é um anjo para você, imagina se essa dor estivesse nela e você não pudesse fazer nada? Parei de reclamar na hora, mas não parei de chorar….rs

Quando ela acordava, eu já armava o meu esquema tático. Cadeira de amamentar + 3 almofadas + almofada de amamentar, e minha mãe, que vinha segurando a cabeça dela para ela dar a “pega” certa, senão já era, eu não conseguia mais dar o peito!

Foi quando minha irmã, expert no assunto apareceu e pediu para ver os meus peitos (isso já tinha passado 1 mês do nascimento dela), e viu que meus peitos estava ficando em carne viva e que a aurela estava cheia de bolhas e a mesma estava se despedaçando ficando na boquinha dela. Eu respondi: Mas não é normal??? Ohhh sofrimento!

Foi quando tirei uma foto e mandei para minha médica e ela me pediu para ir correndo no consultório e levar a Maria para ver o que estava acontecendo!!! Quando ela viu os meus peitos ela só me disse isso: “Juliana, amamentar é um ato de amor, não de sofrimento”. Você está passando tudo isso para ela. E eu com 25 anos de medicina, nunca vi um peito tão feio igual ao seu”. (Deu para imaginar como eles estavam, né). Era uma alergia da saliva da boquinha dela. Não era os planos de Deus eu amamentar.

Cheguei em casa e chorei tanto. Me senti menos mãe. Criei tanta expectativa neste momento, e foi o único frustante, o que não criei, foi tranquilo!

Mas mesmo depois de tudo que passei, vi que não sou menos ou mais mãe por isso! Mas foi frustante, pensei que suportaria tudo por ela. Mas existem coisa que não se explica!

E hoje, ela com 5 anos, super saudável (mesmo com o leite artificial), vi que o alimenta nossos filhos, são o amor que temos por eles.

O resto a gente dá um jeito!!!

Por Juliana Marinho

(From Ju to You)

 

2 comentários em “Coisas que ninguém te conta sobre a hora de amamentar!

Adicione o seu

    1. Oi Naiana. Não fiz, pois a minha médica disse que a causa poderia ser isso, mas para ter certeza absoluta eu teria que continuar amamentando para o leite não secar e nos submeter a vários testes e seria muito desgastante, pois eu estava sofrendo muito! E por decisão dela mesmo ela decidiu que a melhor saída era tirar ela do peito, pois o mesmo estava muito feio e poderia piorar! Mas nada como um dia após o outro e graças a Deus consegui me recuperar bem rapidinho! Abraços!!!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: